Cão Cidadão

Artigos

Dicas práticas para mudar de casa com seu gato

Quanto mais tranqüila for a mudança de casa, melhor para todos. Especialmente para o gato. Por isso, procure seguir as dicas aqui descritas, principalmente se o seu gato for do tipo estressado

Vacinar com antecedência
Gatos são animais bastante territorialistas. Por isso, podem facilmente ficar estressados quando o proprietário os leva, definitivamente ou temporariamente, para morar em outra casa.

Não é conveniente submeter o gato ao estresse psicológico e imunológico da vacinação logo antes ou logo depois da mudança. Portanto, se for vaciná-lo, procure fazer isso pelo menos 10 dias antes ou somente depois de o gato estar bastante familiarizado e relaxado no novo ambiente. Não devemos, portanto, fazer com que a mudança e a vacinação ocorram ao mesmo tempo, para não aumentar as chances de o gato desenvolver doença logo depois de ter iniciado a viver no novo lar.

Aumentar o apetite
Se o gato ficar por alguns dias sem comer, pode desenvolver um problema fisiológico e até morrer por causa disso. Como o estresse diminui o apetite do gato, é interessante estimular a vontade de comer, por garantia.

Ao perceber que o gato não se alimenta após a mudança, há quem lhe sirva ração úmida como forma de motivá-lo com comida mais palatável. Mas esse não é o melhor momento para exigir que o sistema digestivo do gato se adapte quimicamente e microbiologicamente a um outro alimento, apesar de que essa solução é melhor do que ele ficar sem comer.

O truque é começar a controlar a quantidade de alimento oferecido vários dias antes da mudança. Dar um pouco menos fará o apetite do gato aumentar muito. E diminuirá bastante a chance de haver greve de fome logo após a mudança. Mas, atenção: a restrição deve ser feita com critério.

Último a sair
Quase toda mudança envolve uma grande movimentação de pessoas e bagunça, tanto na casa “antiga” quanto na nova. O gato ficará menos estressado se for deixado confinado em um quarto da casa antiga, já que se sentirá no território dele.

Liberação gradativa
Gatos só conseguem realmente relaxar quando conhecem e controlam o ambiente no qual estão. Quanto maior a casa nova, mais tempo levará para isso acontecer e ele se sentir seguro.

Ao instalá-lo no novo local, a dica é, portanto, confiná-lo em um quartinho com água, caixa de areia e locais agradáveis para dormir. Evite pôr comida e água próximas à caixa de areia, pois isso pode inibir o uso do banheiro.

Só libere a nova casa por inteiro ao gato quando você tiver certeza de que ele come, bebe, se alivia e dorme normalmente. Mantenha livre o acesso ao quartinho usado inicialmente pelo gato, até ele estar bem acostumado à nova casa.

Se ele voltar a ficar estressado quando o acesso ao resto da casa for liberado, confine-o novamente. E, no início, só permita a exploração de toda a casa por apenas algumas horas por dia.

Ajuda de cheiros e objetos conhecidos
Nos primeiros dias, esfregue-se nas paredes, nos objetos e no carpete do quartinho onde o gato ficará. O seu cheiro, conhecido por ele, funcionará como um calmante natural. Use objetos aos quais o gato está acostumado, como caminhas, arranhadores, etc., – a presença deles também ajuda a reduzir o estresse. Depois que o gato estiver bem, os objetos podem ser removidos, aos poucos.

Desarmonia entre gatos amigos
Às vezes, gatos amigos começam a brigar logo após a mudança. Assustados, podem se atacar e um ficar com medo do outro ou perderem a confiança mútua. O mais grave desses acidentes é gerar desequilíbrio numa situação que era harmoniosa entre os gatos.

Para evitar o problema, antes de os gatos serem soltos no quartinho, devem permanecer por algumas horas dentro de suas caixas de transporte ou gaiolas de exposição. Assim, quando saírem, já não estarão tão apavorados e diminuirá muito a chance de se defenderem atacando.

Mesmos funcionários
A fase da mudança não é a melhor para apresentar o gato a um novo time de funcionários. A tendência é as pessoas desconhecidas estressarem os gatos, enquanto que as pessoas conhecidas os acalmam. Além disso, funcionários que conhecem os gatos podem ajudar a observar se está tudo bem com os felinos nos primeiros dias, principalmente se o proprietário não puder estar presente.